O Programa de Logística Verde (PLVB) anuncia o resultado de um novo desafio e lança, no dia 07 de junho de 2018, o Manual de Aplicação: Boas Práticas para o Transporte de Carga.

Este material tem como objetivo orientar as Empresas, na forma de uma auto avaliação, quanto à escolha, aplicação, avaliação e relato das Boas Práticas para o Transporte de Carga, descritas no Guia de Referências em Sustentabilidade: Boas Práticas para o Transporte de Carga, por meio da aplicação de um procedimento estruturado.

O evento será gratuito, ocorrerá em São Paulo (SP) e reunirá todas as Empresas Membro participantes do programa, bem como os seus convidados.

Não fique de fora! Faça sua inscrição no link: Lançamento do Manual de Aplicação e reserve a data em sua agenda.

Este evento que será um marco para logística verde brasileira! Acesse www.plvb.org.br e saiba mais.

José Tadeu Arantes | Agência FAPESP – A produção do etanol de segunda geração ou etanol celulósico, obtido a partir da palha e do bagaço da cana-de-açúcar, pode aumentar em até 50% a produção brasileira de álcool. Desnecessário enfatizar a importância econômica e ambiental dessa possibilidade, que transforma resíduo em recurso.

Para tanto, o país possui a melhor biomassa do planeta, a capacidade industrial instalada, a engenharia especializada e a levedura adequada. Só falta completar a composição do coquetel enzimático capaz de viabilizar o processo de sacarificação, por meio do qual os açúcares complexos (polissacarídeos) são despolimerizados e decompostos em açúcares simples. Compor uma plataforma microbiana industrial para a produção do conjunto de enzimas necessárias é o alvo de pesquisas avançadas na área.

Um importante resultado acaba de ser alcançado, com a descoberta, no lago Poraquê, na Amazônia, de microrganismos capazes de produzir uma enzima crítica para o êxito do empreendimento.

Isolada, caracterizada e produzida, a enzima mostrou-se compatível com duas fases essenciais da produção do etanol de segunda geração: a fermentação e a sacarificação. A realização simultânea dessas duas etapas oferece a perspectiva de uma grande redução de custos para a indústria sucroalcooleira, uma vez que as reações podem ocorrer em um único reator e há economia de reagentes.

O estudo mobilizou pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), da Petrobras, da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), e contou com apoio da FAPESP. Artigo assinado pela equipe de pesquisadores foi publicado na Biochimica et Biophysica Acta (BBA) – Proteins and Proteomics.

Leia mais em Agencia Fapesp.

The industry created more than 500 000 new jobs globally in 2017, with the total number of people employed in renewables (including large hydropower) surpassing 10 million for the first time.

Renewable Energy and Jobs, presents the status of employment, both by technology and in selected countries, over the past year. Jobs in the sector (including large hydropower) increased 5.3% in 2017, for a total of 10.3 million people employed worldwide, according to this fifth edition in the series.

China, Brazil, the United States, India, Germany and Japan have remained the world’s biggest renewable energy employers, representing more than 70% of such jobs. While growing numbers of countries reap socio-economic benefits from renewables, the bulk of manufacturing still takes place in relatively few countries. Four-fifths of all renewable energy jobs in 2017 were in Asia, the report finds.

Among the various technologies based on renewables, the solar photovoltaic (PV) industry supports the most jobs. PV jobs increased almost 9% to reach 3.4 million around the world in 2017, reflecting the year’s record 94 gigawatts of PV installation.

Jobs in the global wind power industry contracted slightly to 1.15 million. Europe still accounts for five of the world’s top ten countries for installed wind power capacity.

Read More at IRENA