Está marcada para 24 de maio, em São Paulo, a Audiência Pública para debate da proposta do Conselho Nacional de Meio Ambiente para a revisão dos padrões de qualidade do ar no Brasil. A notícia, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam), poderia ser positiva, caso a revisão significasse a elavação dos padrões aos níveis da União Europeia.

Mas, ao contrário, a nova proposta de resolução piora e reduz as exigências de qualidade do ar, alertam os especialistas do Proam. "A minuta do Conama para revisão dos padrões de qualidade do ar é um insulto ao pulmão dos brasileiros!", diz a nota da organização. Segundo a OMS, aproximadamente 51 mil pessoas morrem no Brasil todos os anos em função da poluição do ar. Em média, são 140 pessoas por dia, principalmente crianças e idosos. Na visão do Proam, o teor da proposta deixará o Brasil atrás do Chile, Colômbia, México, Índia, China e muitos outros países que estão saindo do imobilismo com políticas públicas por ar limpo.

O Proam aponta os principais problemas da proposta:

- A minuta não fixa prazos para atingimento de padrões de qualidade do ar, favorecendo os estados que não querem monitorar nem fiscalizar a poluição;

- Também favorece fabricantes de veículos poluentes, como os ônibus e caminhões movidos a diesel.

- O licenciamento ambiental continuará a ser concedido com base em valores defasados, o que permitirá mais atividades poluidoras em áreas já saturadas por poluentes.

- Os níveis de poluentes estabelecidos na minuta para o disparo de alertas à população são muito elevados. Os valores de material particulado MP10 são mais do que o dobro do recomendado pela OMS. Isso retardará ou impedirá as medidas para solucionar episódios de poluição. E a população sequer será informada sobre os riscos que está correndo.

A audiência pública reunirá especialistas em controle de poluição, médicos, juristas, especialistas em políticas públicas, ambientalistas e cidadãos, que juntos farão uma análise da proposta do Conama.

Leia Completo em MOBILIZE.ORG.BR

RIO — O clima de medo tem obrigado professores e estudantes a tomar precauções na Ilha do Fundão, como, por exemplo, andar sempre em grupo. Na manhã desta quinta-feira, um suspeito de assalto foi morto durante uma troca de tiros com a polícia e uma ambulante ficou ferida nas proximidades do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho. Diante da violência crescente no campus, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Zona Norte, quer criar o 'Fundão Presente', uma parceria com a Petrobras para ampliar o patrulhamento no local. A informação foi divulgada no blog do jornalista Ancelmo Gois.

A reitoria pretende aderir ao Programa Estadual de Integração de Segurança (PROEIS), que permite que policiais militares trabalhem em dia de folga, sendo pagos pelas empresas que adotarem o esquema. A ideia é que a Petrobras, que possui dentro do campus um centro de pesquisa, financie o patrulhamento extra de PMs. Segundo o reitor Roberto Leher, caberá à universidade coordenar o processo, garantindo que o policiamento seja feito de acordo com as diretrizes da UFRJ.

Leia Completo em O GLOBO.

O Programa de Logística Verde (PLVB) anuncia o resultado de um novo desafio e lança, no dia 07 de junho de 2018, o Manual de Aplicação: Boas Práticas para o Transporte de Carga.

Este material tem como objetivo orientar as Empresas, na forma de uma auto avaliação, quanto à escolha, aplicação, avaliação e relato das Boas Práticas para o Transporte de Carga, descritas no Guia de Referências em Sustentabilidade: Boas Práticas para o Transporte de Carga, por meio da aplicação de um procedimento estruturado.

O evento será gratuito, ocorrerá em São Paulo (SP) e reunirá todas as Empresas Membro participantes do programa, bem como os seus convidados.

Não fique de fora! Faça sua inscrição no link: Lançamento do Manual de Aplicação e reserve a data em sua agenda.

Este evento que será um marco para logística verde brasileira! Acesse www.plvb.org.br e saiba mais.