Diesel cars have already been banned in some EU countries from 2040, providing impetus for the bloc to impose quotas for electric vehicles (Photo: Pixabay)

By 

Despite public denials, the European commission is considering implementing an electric car quota to be achieved by automakers by 2030, according to diplomats and sources familiar with the issue.

With France, the Netherlands and Britain planning diesel bans by 2040, commission officials are said to view a new mandate as a natural step. The issue is fraught though, particularly in Germany where the car industry remains a powerful political force and elections are looming.

One source with knowledge of internal EU discussions told Climate Home that cabinet members in the bloc’s climate, industry, energy union and transport directorates had reached a consensus on the need for tough enforceable targets.

“They have made it very clear that it is their intention to go to a zero-emissions mandate and the car industry has been told to stop complaining about it, and start being constructive,” the source said.

 

Leia a Matéria Complate Aqui.

Segundo o Atlas Brasileiro de Energia Solar, país tem enorme potencial para produção de energia solar. Área que vai do Nordeste ao Pantanal reúne as principais condições para ampliar a capacidade produtiva. “O potencial para gerar energia solar no Brasil é gigantesco, especialmente no Cinturão Solar”, diz o físico Enio Pereira

Atlas Brasileiro de Energia Solar. Imagem: Inpe
Atlas Brasileiro de Energia Solar. Imagem: Inpe

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) – unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) – lança em julho a segunda edição do Atlas Brasileiro de Energia Solar com informações sobre o potencial de geração de energia elétrica a partir da matriz fotovoltaica do país. Os dados apontam para uma “enorme” capacidade de explorar esse recurso, principalmente no chamado Cinturão Solar, área que se estende do Nordeste até o Pantanal, pegando o norte de Minas Gerais, o sul da Bahia e o norte e nordeste de São Paulo.

A primeira versão do Atlas, produzido em 2006 com dados compilados ao longo de dez anos, já apontava esse potencial de expansão. Agora, a quantidade de material obtido por meio de satélites permitiu uma análise mais profunda sobre a real capacidade do país no setor e indica a possibilidade de expansão da produção total e dos meios de geração de energia elétrica solar. A nova edição utilizou informações levantadas durante 17 anos. Nela, já dados sobre a quantidade e disponibilidade da radiação solar, a variação de potência dos raios, como os fatores climáticos – notadamente a presença de nuvens – influenciam a disponibilidade e a influência da topografia para a incidência dos feixes de luz solar.

Leia a Matéria Completa Aqui.

A consortium of clean energy developers has applied for permission to build a gigantic solar power plant on the edge of the Sahara desert, which will be linked to Europe by a number of undersea cables and could power over 5 million homes.

TuNur’s planned project in Tunisia hopes to tap into the Sahara desert’s vast potential to provide solar power. Its request to the Tunisian energy ministry envisages a facility in the southwest of the country that will produce 4.5GW of power.

Chief Executive Kevin Sara claimed that an initial 250MW could be up and running, powering Europe via an interconnector with Malta, by 2020. It would mean an extra 1,000GWh of clean power a year being made available to the European grid.

Italy and Malta’s energy grids are already connected via a 95km link that came online in 2015.

Leia a Matéria Completa aqui.